Ciclo 2N2F da Pequena Empresa


por José Carlos Nepomoceno



Nas muitas conversas que tive a oportunidade de ter com proprietários de empresas pequenas ouvi muito a frase “estou trabalhando muito mas não sobra dinheiro para mim”.


Infelizmente esta é uma verdade para a grande maioria dos pequenos empresários. Este fato se dá em função de um ciclo totalmente prejudicial que identifiquei na cultura dessas empresas. Eu o apelidei de CICLO 2N2F (Não confio, Não delego, Falta tempo, Falta dinheiro). O Proprietário muitas vezes não confia que seus funcionários irão realizar suas tarefas de forma a garantir a qualidade do produto/serviço. Não é fácil garantir o custo desejado, no prazo comprometido e na qualidade desejada pelo cliente.


2ec23fc7b662456dbb41a2168753516a.png

Para tudo funcionar da forma correta é necessário a profissionalização do negócio, partindo do planejamento estratégico. Quando identifico esta necessidade e proponho ações neste sentido o que mais ouço é “Ah, mas planejamento estratégico é coisa para grandes empresas, eu sou muito pequeno”. Aí é que começa o engano.

 

O planejamento estratégico serve para orientar e direcionar as atividades empresariais, seja ela de qual tamanho for. Voltando ao CICLO 2N2F podemos observar o seguinte:

 

Não confio – A falta de confiança de que os funcionários irão realizar suas atividades de forma correta é o primeiro fator crítico de sucesso, que levará ao segundo N do ciclo;

 

Não delego – Por não acreditar ou ter a confiança de que seus funcionários irão realizar suas tarefas da forma desejada, muitos empresários acabam ficando muito tempo com os “olhos” para dentro da empresa. O que consequentemente gera o primeiro F;

 

Falta tempo – Por receito de seu negócio não “andar” sem ele, o pequeno empresário acaba se envolvendo nas atividades operacionais da empresa. Muito além do que realmente ele deveria. O que consequentemente gera o segundo F do ciclo;

 

Falta dinheiro – O pequeno empresário por não ter tempo acaba comprometendo a saúde de sua organização. Ele não consegue olhar para fora da empresa e observar as oportunidades que o mercado lhe oferece, e também não consegue perceber as ameaças ao seu negócio. Com isto acaba que o trabalho é muito, mas o lucro da empresa é baixo, ou inexistente.

 

O planejamento estratégico contribuirá para orientar o pequeno empresário em:

 

  • Definir para onde ele quer que sua empresa vá;
  • Identificar sua cadeia de valor e quais processos o apoiarão na execução das tarefas de maneira disciplinada e organizada;
  • Avaliar quais são os recursos necessários para alcançar os objetivos do seu negócio;
  • Será possível também identificar e trabalhar de forma positiva os pontos fortes e fracos de sua organização, assim como aproveitar de forma eficiente as oportunidades e prever as ameaças ao negócio, dentre vários outros benefícios.

 

Não permita que o modelo de gestão da sua empresa seja o CICLO 2N2F. Profissionalize sua organização e promova o crescimento sustentável do negócio

​​